logomarca
  • Você está em:
  • Página inicial »
  • »
  • A Igreja e as imagens distorcidas de Deus

A Igreja e as imagens distorcidas de Deus

imprimir tamanho da letra: A- normal A+

A Igreja e as Imagens distorcidas de Deus

Por Pr. Reinaldo de Souza

Infelizmente algumas distorções da imagem de Deus surgem por ensinos e pregações nas diversas comunidades cristãs que, inadvertidamente, perpetuam assustadoras e perturbadoras imagens sub cristãs de Deus.


Originalmente a palavra grega “Evangelho” (εὐανγέλιον/ Evangelion) era uma palavra de uso militar, sendo uma recompensa por uma “boa notícia”.


Na época as guerras e conflitos entre os povos eram constantes. E devido às restrições da época, era muito grande a dificuldade de comunicação entre soldados e suas cidades de origem.


As cidades e principalmente as famílias aguardavam ansiosamente por notícias de seus filhos nos campos de batalhas.


Enviavam mensageiros com a missão de trazer notícias sobre o fracasso ou sucesso dos soldados e das batalhas. A chegada desse mensageiro era muito esperada. Quando chegava com boas notícias, recebia então uma recompensa por seu esforço.


Esse presente era chamado de “evangelho” e quando a notícia era boa a recompensa era maior.


Mais tarde desapareceu a ideia de recompensa, e a palavra começou a ser usada para designar a própria “boa notícia” ou “boa mensagem”.


Já no tempo de Jesus as “boas notícias” eram as ações dos reis, imperadores e governadores, sobretudo quando percorriam suas terras levando benefícios, dinheiro, distribuindo alimentos, organizando gratuitamente diversões populares e libertando os presos.


“Princípio do evangelho de Jesus Cristo, o Filho de Deus. Conforme está escrito no profeta Isaías: “Enviarei à tua frente o meu mensageiro; ele preparará o teu caminho” Marcos 1: 1-2 (NVI)


Aproveitando-se desse significado, Marcos, o único que incluiu a palavra evangelho como título do seu livro, também quis oferecer aos membros das suas comunidades uma Nova Notícia, só que essa Boa Nova era, para os cristãos, Jesus de Nazaré, o Messias.


Infelizmente hoje, nos púlpitos, livros e meios de comunicação cristãos a Boa Notícia tem sido transformada em Má Notícia.


O Evangelho da Graça tem se tornado em evangelho da vergonha e a fé destinada a nos libertar da escravidão, por vezes tem se tornado um fardo pesado de culpa, medo e de expectativas inatingíveis.


Muitas vezes por ouvir pregações e ensinos que retratam a Deus como tirano e abusivo, podemos nos pegar pensando “talvez esse homem esteja certo, talvez um Deus escandalosamente amoroso seja muito para se esperar”.


Ensinos distorcidos de líderes cristãos podem ter um impacto significativo em nossas imagens de Deus.


Todas as vezes que pessoas em posição e autoridade, que afirmam estar falando de Deus, nos dizem, ou de alguma forma demonstram que Deus é mau, está sempre bravo ou sobre como é praticamente impossível agradá-lo, deixam em nossas mentes um peso de culpa, rejeição e distanciamento de Deus com efeitos inimagináveis.


Uma jovem membra de nossa igreja local certa vez me contou que em uma das igrejas pelas quais passou a pastora, na pregação dominical, falou: “Deus me disse que estou mostrando muito os dentes, que devo parar de sorrir!”.


Para aqueles que possuem essas imagens distorcidas de Deus, é como se Deus não amasse a felicidade, o sorriso, a alegria, é como se Jesus nunca houvesse sorrido em toda a sua vida, mas tivesse vivido sempre muito sério e sempre com cara fechada.


Basta olhar para as representações de Jesus em imagens e pinturas, em 99,99% delas Jesus está sempre sério, triste e com o rosto abaixado.


Tais ensinos são impactantes, especialmente para as pessoas em momentos vulneráveis da vida.


Principalmente os novos na fé em Cristo podem estar em perigo porque eles geralmente estão abertos para tomar como verdade absoluta os primeiros ensinamentos formais ou representações sobre Deus que ouvem de pessoas de autoridade.


Em meio às crises todos nós estamos em perigo, isso porque estamos passando por grandes mudanças psicológicas, somos inundados por sentimentos conflitantes e estamos procurando um sentido e respostas espirituais.


Se já sofremos com algumas imagens distorcidas de Deus, mesmo que vagamente, também corremos perigo.


Justamente porque nesses momentos tornam-se mais vivas as distorções que já experimentamos no passado e essas imagens acabam sendo reforçadas em nossa mente.


Como é doloroso viver uma vida espiritual com um Deus cujo amor não pode ser confiável e esperado.


O Apóstolo Paulo nos traz uma revelação surpreendente do amor de Deus por nós:


“E oro para que Cristo se sinta mais e mais à vontade em seus corações, morando em vocês à medida que confiarem nele. Que vocês aprofundem suas raízes no solo do amor maravilhoso de Deus; e que possam ser capazes de sentir e compreender, como devem todos os filhos de Deus, quão extenso, quão largo, quão profundo e quão alto é, na realidade, o seu amor; e por si mesmos experimentar este amor, embora seja ele tão grande que vocês nunca verão o seu fim, nem o poderão conhecer ou compreender completamente; E desta maneira, finalmente, vocês ficarão repletos do próprio Deus.” Efésios 3: 17-19 (VIVA)

Visite a nossa Comunidade e aprenda mais sobre um caminho de cura para as nossas imagens distorcidas de Deus.

Forte Abraço!

Deus te abençoe!

Pastor Reinaldo de Souza
Comunidade Família

Deixe seu comentário
Sem comentários cadastrados.

Parceiros

Igreja Anglicana Comunhão Igreja Anglicana no Brasil - Diocese de Recife Encristus | Encontro de Cristãos em Busca de Unidade e Santidade GAFCON Paróquia Anglicana do Espírito Santo ACNA